A ciência da linguagem, Marxismo e Bakhtin

Livro de Bakhtin que revolucionou a filosofia da linguagem

Marxismo e Filosofia da Linguagem fala de ideologia, comunicação, linguagem e signo. Referência basilar para a teoria semiótica empregada hoje em dia.

Bakhtin e a filosofia da linguagem
R$50,00 Adquira já

A linguagem analisada em variados enfoques que passam pela natureza ideológica do signo linguístico, o dinamismo próprio de suas significações, a alteridade que lhes é constituída, o signo como arena da luta de classes, as críticas à Saussure e ao conservadorismo das posições formalistas.

Além disso, discute-se questões sobre psicologismo e marxismo, os fenômenos de enunciação que são tão preciosos para a semântica, bem como as análises dos diferentes tipos de discurso (direto, indireto, indireto livre, etc).

O signo ideológico e a palavra são os dois elementos centrais em discussão. Assim, a primeira parte do livro apresenta um vigoroso projeto filosófico que combate veementemente as filosofias de natureza psicológica, as quais situariam a ideologia no âmbito da consciência e de suas leis.

Marxismo e Filosofia da Linguagem

Problemas fundamentais do Método Sociológico na Ciência da Linguagem
Autor: Mikhail Bakhtin (V. N. Volochinov)
Tradução: Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira
11ª edição. Ano 2004. Editora Hucitec, São Paulo
Livro conservado. Alguns sublinhados de canetinha amarela, sem comprometer a leitura.
Frete grátis em Presidente Prudente

Contato Lado B Livros

A ideologia não pode derivar da consciência, já que a própria consciência só pode surgir por intermédio da encarnação material dos signos.
Para o autor, a ideologia não está na consciência, mas sim na linguagem. Ao criticar a ideologia, estar-se-á também criticando automaticamente a linguagem.

Ideologia e linguagem em perspectiva
Alguns grifos de canetinha amarela. Livro em bom estado


É preciso inserir a linguagem no ramo dos estudos das ideologias, compreendendo-a na esfera única da relação social de criação ideológica.

Já na segunda parte da obra, denominada “Para uma filosofia da linguagem”, o foco é o objeto de estudo da filosofia da linguagem. No que consiste o objeto da filosofia da linguagem?  Onde podemos encontrá-lo? Qual a sua natureza concreta?
De maneira clara e objetiva, o objeto e algumas de suas particularidades são analisadas como, por exemplo, a interação verbal, a evolução da língua, a compreensão, a sua significação, etc.

A ciência da linguagem por Bakhtin
Novas interpretações para o Marxismo e a filosofia da linguagem

Por fim, na terceira e última parte do livro, é feito um estudo sobre a natureza social da enunciação. A ideia é explicar de que modo é feita a sua aplicação e como se pode entender a natureza concreta da linguagem.

O fato é que a língua só pode surgir mediante o contexto no qual ela está inserida. E nesse processo, a sua história desempenha papel de suma importância.
Entre os inúmeros assuntos tratados, nessa última parte, estão o discurso direto, indireto e suas variantes.

De maneira geral, o livro quer mostrar que existe uma forte relação entre linguagem e sociedade. E mais, todo signo (que são objetos naturais) é ideológico. E a ideologia, por sua vez, é reflexo das estruturas sociais e a sua modificação encadeia uma alteração da língua.

Mikhail Bakhtin, filósofo
Mikhail Bakhtin, filósofo

Mikhail Bakhtin (1895-1975), célebre filósofo e pensador russo dos séculos XIX e XX. Um dos mais importantes estudiosos da linguagem humana. Suas pesquisas até hoje ainda norteiam muitos estudos e teorias pelo mundo.

Com obras que versam sobre os mais variados temas, o autor influenciou pensadores de diversas áreas no âmbito da crítica da religião, estruturalismo, semiótica, marxismo , entre outras.
O pensamento de Bakhtin exerceu grande influência em disciplinas como psicologia, antropologia, história, filosofia, crítica literária e assim por diante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *